Aqui, lê-se, drama e doçura.

Escrevo meus porquês, sem poréns e sem vírgulas.
Meu mundo é perigoso e opcional.
Sou liberta de correntes.
Vivo.

Deixo ser
Deixo estar
Deixo a vida passar
- Observo enquanto escrevo.
Transformo vivência em palavras
e -
Deixo as palavras invadirem o espaço.

Vendo a vida passar; e escrevendo entre aspas.
(Aqui, lê-se, drama e doçura.)

quinta-feira, 25 de julho de 2013

Na contramão.

Na contramão:
a contradição
se afirma na escassez
de meros arranjos que ecoam
num infinito de razões.
Destroem-se por um turbilhão
da poesia aclamada e viva
reescrita
que nunca some
e sobressai
entre os caminhos mais escuros
e pedaços mais cortados
dentre escritos faltosos
apagados
com borracha de bala
que atira
atinge
sangra
dói
arde
e mata.

Um comentário:

  1. Ei.
    tem um selinho para você no meu blog. Passa lá e confere.

    http://mmelofazminhacabeca.blogspot.com.br/2013/08/este-blog-e-para-ler.html

    ResponderExcluir