Aqui, lê-se, drama e doçura.

Escrevo meus porquês, sem poréns e sem vírgulas.
Meu mundo é perigoso e opcional.
Sou liberta de correntes.
Vivo.

Deixo ser
Deixo estar
Deixo a vida passar
- Observo enquanto escrevo.
Transformo vivência em palavras
e -
Deixo as palavras invadirem o espaço.

Vendo a vida passar; e escrevendo entre aspas.
(Aqui, lê-se, drama e doçura.)

domingo, 21 de julho de 2013

Devaneios

Minhas fábulas são todas reais.
E as lembranças estão em um cativeiro
que de vez em quando
esqueço de alimentar.

Perco o mais profundo juízo
para alimentar o ópio
da consciência
que grita
com vozes abafadas
respondendo a estímulos mais banais.

Perco a existência
dentre incertezas,
medos e erros.

Delírio e distorção.

Perco o silêncio
que amortecem a verdade,
enquanto que
as minhas fábulas
são TODAS
reais.

Nenhum comentário:

Postar um comentário