Aqui, lê-se, drama e doçura.

Escrevo meus porquês, sem poréns e sem vírgulas.
Meu mundo é perigoso e opcional.
Sou liberta de correntes.
Vivo.

Deixo ser
Deixo estar
Deixo a vida passar
- Observo enquanto escrevo.
Transformo vivência em palavras
e -
Deixo as palavras invadirem o espaço.

Vendo a vida passar; e escrevendo entre aspas.
(Aqui, lê-se, drama e doçura.)

quarta-feira, 13 de fevereiro de 2013

Transcrevendo

Ai de mim tentar contestar a psicanálise com poemas. Querer adentrar palavras na saúde mental, mudar os rumos da sapiência e dar voz a loucura. Fujo dos meus próprios princípios e sigo ideologias falhas e ultrapassadas. Transcrevo a alma, sedenta, louca, caída em torpor, por poesia. A porta está aberta, entram-se sentimentos, saem palavras.

2 comentários:

  1. oh. poderia ser um poema esse texto, heim? =)

    ResponderExcluir
  2. Não tinha pensado nisso. Realmente, daria um belo poema. Um dia dou uma lapidada neste.

    ResponderExcluir