Aqui, lê-se, drama e doçura.

Escrevo meus porquês, sem poréns e sem vírgulas.
Meu mundo é perigoso e opcional.
Sou liberta de correntes.
Vivo.

Deixo ser
Deixo estar
Deixo a vida passar
- Observo enquanto escrevo.
Transformo vivência em palavras
e -
Deixo as palavras invadirem o espaço.

Vendo a vida passar; e escrevendo entre aspas.
(Aqui, lê-se, drama e doçura.)

quarta-feira, 14 de março de 2012

Equilíbrio, desta vez

Melhorar...
Ensaiar paços calmos.
Dançar
levemente
e pensar entre linhas:
osrev (verso)
e
prosa.

A alma procura
uma abertura
de paz,
amor
e energia.

Falta um interior
Onde não há revoltas,
não seja preciso rebater
ou receber.
Onde
s ó
precise
amar
.
.
.

Nessa escassez
Pequenas moedas achadas no bolso
- não são confundidas com as moedas do troco -

Conversar sozinho,
É pensar
É ser leve
Sem timidez.

- O que há de novo?
- Equilíbrio, desta vez

Nenhum comentário:

Postar um comentário