Aqui, lê-se, drama e doçura.

Escrevo meus porquês, sem poréns e sem vírgulas.
Meu mundo é perigoso e opcional.
Sou liberta de correntes.
Vivo.

Deixo ser
Deixo estar
Deixo a vida passar
- Observo enquanto escrevo.
Transformo vivência em palavras
e -
Deixo as palavras invadirem o espaço.

Vendo a vida passar; e escrevendo entre aspas.
(Aqui, lê-se, drama e doçura.)

quarta-feira, 7 de dezembro de 2011

Clichê (?)

Nasce o bonito, que é interrompido pelos rancores e amarguras do mundo. Assim estende-se até que o belo ponha-se de volta ao seu lugar, no fim. Caminhos percorridos foram jogados fora, pois são lembranças má vividas e aproveitadas. Dizem-me que citar essas dores de todo o trajeto da vida é ser clichê, e falam que é difícil falar do pouco doce e sereno que aparece entre os buracos dessas angústias. Tachem-me. O quanto piegas eu for, sempre fui sentimental. Nunca dei valor à razão.

Nenhum comentário:

Postar um comentário