Aqui, lê-se, drama e doçura.

Escrevo meus porquês, sem poréns e sem vírgulas.
Meu mundo é perigoso e opcional.
Sou liberta de correntes.
Vivo.

Deixo ser
Deixo estar
Deixo a vida passar
- Observo enquanto escrevo.
Transformo vivência em palavras
e -
Deixo as palavras invadirem o espaço.

Vendo a vida passar; e escrevendo entre aspas.
(Aqui, lê-se, drama e doçura.)

segunda-feira, 1 de agosto de 2011

Vem

Amor, vem me fazer companhia.
Para este longo dia.
Que valem por dois.
Vem sem deixar pra depois.

Mal consigo respirar
Pois meu ar fez pausa para te achar
Sinta-o tão quente.
Tão ardente.

Deixa-me fazer longas preces para ter-te aqui comigo
Nem que seja só um amigo.
Se eu te perder
- só se perder! -
Deixe-me morrer

Já caí no seu molejo
Com um longo beijo
Só o que faço é rezar
E amar.

2 comentários: