Aqui, lê-se, drama e doçura.

Escrevo meus porquês, sem poréns e sem vírgulas.
Meu mundo é perigoso e opcional.
Sou liberta de correntes.
Vivo.

Deixo ser
Deixo estar
Deixo a vida passar
- Observo enquanto escrevo.
Transformo vivência em palavras
e -
Deixo as palavras invadirem o espaço.

Vendo a vida passar; e escrevendo entre aspas.
(Aqui, lê-se, drama e doçura.)

segunda-feira, 29 de agosto de 2011

De: Fogo; Para: Água

Saiba que eu, senhora água, sempre te aquecerei. Queimarei paradoxos e ai de quem tentar me apagar com o vento, minha fúria aumentará, minha força se multiplicará e minha cor queimará. Eu sou a causa, você consequência, trabalhamos juntos, é natural estarmos juntos, você andar entre minhas pegadas. Você trabalha me seguindo, onde estou, lá está você, fria e forte para acabar com meu desempenho. Eu sou prático, quero queimar previsões e incendiar paixões. Em falar em paixões, venho eu, escrevendo esta nota, apenas para mostrar que somos feitos um para o outro. Por você, barracos serão caídos ao chão. E você, água, com um só pingo, apenas uma gota, molhará meu corpo, incendiará minha chama e nos completaremos, como fogo e água.

Nenhum comentário:

Postar um comentário