Aqui, lê-se, drama e doçura.

Escrevo meus porquês, sem poréns e sem vírgulas.
Meu mundo é perigoso e opcional.
Sou liberta de correntes.
Vivo.

Deixo ser
Deixo estar
Deixo a vida passar
- Observo enquanto escrevo.
Transformo vivência em palavras
e -
Deixo as palavras invadirem o espaço.

Vendo a vida passar; e escrevendo entre aspas.
(Aqui, lê-se, drama e doçura.)

sábado, 11 de junho de 2011

Os bombeiros que sonham em apagar as chamas da lei

Foi só fechar os olhos e a ideia surgiu entre ecos que martelavam minha mente, interrompendo meus sonhos para o dia de amanhã. Foi como o aparecer entre arbustos, bastou um estalo e lá estava ela, linda e imóvel, para que eu a decifre. Já dizia Kant, a sociedade tem o direito de fazer uma revolução pacífica. Kant, como muitos outros filósofos, não pôde acertar o futuro, estava equivocado. Nunca existirá um movimento pacífico, nossas leis não permitem isso. Leis estas, banhadas em falsidade, pois não há liberdade de expressão. Não há liberdade. Em meio a tanta tecnologia, ainda me pego na década de 60, como na ditadura militar, uma palavra proferida, se aos ouvidos dos superiores fossem em um tom ameaçador, era uma agressão as leis e afronta ao país. Assim, remamos nós a caminho da desorganização.
Kant conceituava revolução como um movimento que não possa interferir ou mudar regras já escritas, e que, aparentemente, devemos segui-las, para preenchermos o papel de ‘cidadãos de bem’. No entanto, toda revolução é feita com o intuito de mudar ou interferir em algo. Ninguém grita ou disserta, para que ninguém escute, sempre há uma ideia, uma informação, algo a ser trocado. Agora, voltamos nós a ideia de Kant... Se o ego dos "trabalhadores" que vivem em Brasília não for ferido, os revolucionários não serão ouvidos, mas se agredirmos as leis, seremos punidos.
Um país feito de paradoxos.
E agora? Os políticos que não estão a par dessa briga tentarão, de alguma forma, ficar do lado dos bombeiros, para que saiam como bons. Como flores de cemitérios, que no meio de tantas cinzas, ainda se destacam...

Um comentário:

  1. lamento pela necessidade de desprezo e indiferença dos poderosos.


    bjsmeus

    ResponderExcluir