Aqui, lê-se, drama e doçura.

Escrevo meus porquês, sem poréns e sem vírgulas.
Meu mundo é perigoso e opcional.
Sou liberta de correntes.
Vivo.

Deixo ser
Deixo estar
Deixo a vida passar
- Observo enquanto escrevo.
Transformo vivência em palavras
e -
Deixo as palavras invadirem o espaço.

Vendo a vida passar; e escrevendo entre aspas.
(Aqui, lê-se, drama e doçura.)

domingo, 1 de maio de 2011

Teorema de Thalles

Descobrir-te, a princípio, foi um mistério. De filosofia fácil e avançada, daquelas óbvias que ninguém vê. Fácil dedução, mas um novato bem esperto o criou. Amigo de grandes ideias e imensas palavras. Ah se fosse fácil descobrir seus defeitos como é fácil deduzir suas qualidades...Thalles, descobri então, que você foi feito de açúcar, que sai na chuva e molha. É doce, tão doce. De aparência forte, é daqueles que se ira feito Thor; tão duro, tão duro e tão mole. Dos que choram baixinho, bem longe das pessoas, que os trata feito ratos de vez em quando. Mal sabe você, Thalles, que quando se entristece, o rato é você, e não os outros. Foge e se perde.
Thalles, você sabia que sua cabeça pode ser seu inimigo de vez em quando? Ela o faz acreditar em problemas, aqueles que ninguém vê, mas você o sente, por isso, eles se tornam tão reais. Quando se prende ao fracasso, de encontro ao abismo irá. Camufle, então, seu olhar triste, se não quiser depender dos outros, de opiniões sinceras e palavras de conforto. Nenhuma delas irá te ajudar. Só o bom e velho ditado "Dê tempo ao tempo", talvez se encaixe melhor contigo. De todos esses problemas, talvez o tempo seja a melhor solução. Deixe que as águas rolem, deixe que as cascatas se machuquem, mas não vá junto, pois pode perceber que não sabe nadar. Outra mentira de sua cabeça, desde pequeno sempre acreditou que sabia, não é mesmo? Enquanto isso sorria.
Sorria Thalles, compartilhe suas felicidades, as que você tem, mas não vê, as que te proporcionam, aquela chamada amizade. Veja que à noite, sem o som das estrelas e o sereno das nuvens, o teto, embora grande, não é tão escuro assim. A lua, maior ainda, te iluminará. Extraia símbolos, cores, música, e tudo aquilo que o faz dormir. Durma e sonhe para o próximo dia.
Thalles, não deixe que sua vida seja tomada pela sorte, como alguém que você conhece, alguém que se reserva, alguém que aparece de vez em quando. Como
Também ;os
holofotes; nunca enxergarão, nem o
azul da noite
iluminará
nem
as maiores paixões o salvará.

Sei que o nome é "Teorema de Tales", porém, o texto foi feito a um amigo, Thalles. No fim, faço uma brincadeira com nomes, mas não importa aqui.

Nenhum comentário:

Postar um comentário