Aqui, lê-se, drama e doçura.

Escrevo meus porquês, sem poréns e sem vírgulas.
Meu mundo é perigoso e opcional.
Sou liberta de correntes.
Vivo.

Deixo ser
Deixo estar
Deixo a vida passar
- Observo enquanto escrevo.
Transformo vivência em palavras
e -
Deixo as palavras invadirem o espaço.

Vendo a vida passar; e escrevendo entre aspas.
(Aqui, lê-se, drama e doçura.)

domingo, 22 de maio de 2011

(Só)corro.

Tirem-me as palavras da cabeça,
que elas
passaram um forro
sobre o meu pedido de socorro.

E as letras se juntaram em poesia
poesia inverso
poesia em verso
E dessas palavras eu corro

Só corro.
do meu socorro.
Corro.
Só.

Nenhum comentário:

Postar um comentário