Aqui, lê-se, drama e doçura.

Escrevo meus porquês, sem poréns e sem vírgulas.
Meu mundo é perigoso e opcional.
Sou liberta de correntes.
Vivo.

Deixo ser
Deixo estar
Deixo a vida passar
- Observo enquanto escrevo.
Transformo vivência em palavras
e -
Deixo as palavras invadirem o espaço.

Vendo a vida passar; e escrevendo entre aspas.
(Aqui, lê-se, drama e doçura.)

sábado, 14 de maio de 2011

Mel, mel e mel

Com o destino oposto a luz, cuida de tocar nos amargos, para que sintam o açúcar da pele, nos frios e nos pútridos, para que sintam seu doce aroma e agucem os sentidos. Mel, por que tanto te maltrata se está com caminhos traçados? Por que os outros, Mel? Cuide de si, mel, mel e mel...
Perguntam-me constantemente o motivo de te carregar. É uma dor fininha que eu até gosto, por isso andamos de mãos dadas. Não ouça minhas lamúrias, peço-te perdão pelas lágrimas perdidas, devo sorrir por estar comigo, Mel. Eu gosto de não ter que pensar em soluções, pois não saio mais as ruas, pois você está aqui comigo, mel, mel e mel.
Há músicas que prestigiam nossos ouvidos com tamanha doçura, como há mulheres cuja beleza reflete no caráter, esses são os mais procurados, pois têm tanto a se apreciar. E por que temem a sua visita, Mel? É tão linda e faz as músicas mais tristes terem significados.
Mel, contigo, nunca tropecei. Nunca.
Eu peco, por deixar escapar feições de desespero, por forçar o riso. Devo parar de pintar o sofrimento, já que está comigo.
Chamam-lhe de solidão, mas para mim, é tão doce e gostosa, que a chamarei sempre de mel.
Mel, mel e mel...

3 comentários:

  1. "Eu gosto de não ter que pensar em soluções, pois não saio mais as ruas, pois você está aqui comigo, mel, mel e mel."

    Gostei bastante disso :)

    ResponderExcluir
  2. Ual, me deixou verdadeiramente sem palavras.

    ResponderExcluir