Aqui, lê-se, drama e doçura.

Escrevo meus porquês, sem poréns e sem vírgulas.
Meu mundo é perigoso e opcional.
Sou liberta de correntes.
Vivo.

Deixo ser
Deixo estar
Deixo a vida passar
- Observo enquanto escrevo.
Transformo vivência em palavras
e -
Deixo as palavras invadirem o espaço.

Vendo a vida passar; e escrevendo entre aspas.
(Aqui, lê-se, drama e doçura.)

domingo, 27 de março de 2011

Essa que sou.

Sou um pontinho no final.
Essa, que sou...
Um acento banal.
Que muda de rumo,
Um erro fatal.

Sou uma frase.
Com crase,
ênfase,
base.
Essa. Quem sou?

Sou de métrica desajustada.
De rima errada
uma cilada.

Essa que sou: um carimbo.
De forte vocação,
e fraca atuação.

Um não.
Sem mapa, sem capa.

Essa que sou.
Sou uma vírgula mal feita.
um tanto suspeita.
Sem receita.

Sem direção, sem estação.
Da onde vou. Da onde estou.
Essa que sou.

2 comentários:

  1. 'Sou uma frase.
    Com crase,
    ênfase,
    base.
    Essa. Quem sou?'

    Era exatamente isso que eu estava querendo ler hoje.
    Lindo.

    ResponderExcluir
  2. Bom saber que meus textos significam algo a alguém. Obrigada.

    ResponderExcluir