Aqui, lê-se, drama e doçura.

Escrevo meus porquês, sem poréns e sem vírgulas.
Meu mundo é perigoso e opcional.
Sou liberta de correntes.
Vivo.

Deixo ser
Deixo estar
Deixo a vida passar
- Observo enquanto escrevo.
Transformo vivência em palavras
e -
Deixo as palavras invadirem o espaço.

Vendo a vida passar; e escrevendo entre aspas.
(Aqui, lê-se, drama e doçura.)

domingo, 5 de dezembro de 2010

O forte da vida humana é escapar dos erros e ignorar os acertos. É promover gratuitamente o banal e o desnecessário para a diversão, machucar sem intenção e sem querer. O mal do ser humano é não saber. Ele é emotivo e superficial, por isso, o machucado sente. Sente as dores da repressão e da destruição. O coração é sensível, estreito e não dura pra sempre. A humanidade não é perfeita, mas vive em busca da perfeição. Um caminho longo, árduo e cansativo - e sem necessidade, eu diria.

Pisotear é manter-se em pé.

Nenhum comentário:

Postar um comentário