Aqui, lê-se, drama e doçura.

Escrevo meus porquês, sem poréns e sem vírgulas.
Meu mundo é perigoso e opcional.
Sou liberta de correntes.
Vivo.

Deixo ser
Deixo estar
Deixo a vida passar
- Observo enquanto escrevo.
Transformo vivência em palavras
e -
Deixo as palavras invadirem o espaço.

Vendo a vida passar; e escrevendo entre aspas.
(Aqui, lê-se, drama e doçura.)

quinta-feira, 16 de dezembro de 2010

Lute

Lute sem razão para lutar, lute porque é bom, lute pra espantar o nervosismo, o desânimo. Lute contra as travessuras e perturbações, lute para não ter um dia infeliz, para não se machucar e para viver, não sobreviver. Lute contra as cicatrizes, mas se o tiver, não desanime, pois as cicatrizes são resultados de boas lutas. Não lutas perdidas, mas aquelas duras lutas, e a sua sobrevivência, é a prova de que foi o vencedor.
Lute contra o que te magoa, contra a chuva e o vento, contra doenças. Lute para encontrar a luz, para se enxergar, que possa refletir, seja pensante e use sua inteligência para vencer as brigas do destino. Lute contra os olhos humanos, lute contra eles - todos eles -, eles te machucam e não acrescentam nada em sua vida – qualquer pensamentos que te depende dos outros é mera ilusão. A vida é solitária, só você e o vento. Lute contra ervas daninhas, contra o caos, lute para que não haja guerra em seu interior, lute para permanecer vivo.
Lute até a última gota de seu sangue.

Nenhum comentário:

Postar um comentário