Aqui, lê-se, drama e doçura.

Escrevo meus porquês, sem poréns e sem vírgulas.
Meu mundo é perigoso e opcional.
Sou liberta de correntes.
Vivo.

Deixo ser
Deixo estar
Deixo a vida passar
- Observo enquanto escrevo.
Transformo vivência em palavras
e -
Deixo as palavras invadirem o espaço.

Vendo a vida passar; e escrevendo entre aspas.
(Aqui, lê-se, drama e doçura.)

segunda-feira, 22 de novembro de 2010

Poesia sem métrica e sem rumo

Poesia sem métrica e sem rumo
São estas palavras soltas
que faço deste resumo.

Em um mar revoltado
um tanto apertado e irritado

De livres caprichos isolados.
Pintado à tinta preta
Num rabisco manchado e parado.

E quando as vogais se abraçam
Para formar um círculo de luz
Tornam-se casais
com a perfeita entonação.

Sem negação ou descrição
para a nova criação
a mania e a teoria: Poesia.

Poesia sem métrica e sem rumo
São estas palavras soltas
que faço deste resumo (...)

2 comentários:

  1. Fazer poesia, com ou sem métrica, soneto ou verso livre, sempre é legal. E você sabe fazê-la.

    Abraço

    ResponderExcluir
  2. Sim. O conteúdo da poesia não são as regras, e sim a mensagem. Obrigada.

    ResponderExcluir