Aqui, lê-se, drama e doçura.

Escrevo meus porquês, sem poréns e sem vírgulas.
Meu mundo é perigoso e opcional.
Sou liberta de correntes.
Vivo.

Deixo ser
Deixo estar
Deixo a vida passar
- Observo enquanto escrevo.
Transformo vivência em palavras
e -
Deixo as palavras invadirem o espaço.

Vendo a vida passar; e escrevendo entre aspas.
(Aqui, lê-se, drama e doçura.)

domingo, 17 de outubro de 2010

Nós somos um conjunto. Uma dupla. Em uma estrada. De mãos dadas.
Um devaneio tão maravilhoso, utopia tão fantástica, quase criminosa.
O desejo tão intenso e real nascendo junto ao amanhecer, escuro e luminoso.
A junção do preto básico sendo transformado no florescente, no branco ou azul.
O mesclar dos contras, nós somos o contrário em um. Nós somos um.

Nenhum comentário:

Postar um comentário