Aqui, lê-se, drama e doçura.

Escrevo meus porquês, sem poréns e sem vírgulas.
Meu mundo é perigoso e opcional.
Sou liberta de correntes.
Vivo.

Deixo ser
Deixo estar
Deixo a vida passar
- Observo enquanto escrevo.
Transformo vivência em palavras
e -
Deixo as palavras invadirem o espaço.

Vendo a vida passar; e escrevendo entre aspas.
(Aqui, lê-se, drama e doçura.)

domingo, 6 de junho de 2010

O dia que eu chorei

Peguei-me lamuriando sobre casos passados que afetaram meu humor. Inconsolada, esvaziei a carga de emoções com lágrimas que queriam sair a tempos. Elas foram boazinhas, desceram uma de cada vez, pela primeira vez respeitaram suas posições, sem cair todas juntas, de uma vez só. Pensar sobre isso dói, mas a dor também foi gentil, e fez-me chorar por apenas dois segundos, o resto do tempo foi de pura reflexão. Reflexões estas, que estão me ajudando um pouco, até.
Naquele dia, minha prudência aos sentimentos ficou insana. Não pude distinguir minhas razões e emoções, ambos faziam buracos no chão, e cautelosamente, passava por cima desses buracos ao andar para trás, com medo do que está em frente, o que está longe sempre é mais escuro, e as vezes a luz no fim do túnel queima.
Como o desembainhar de uma espada, o cenário anda meio perigoso. Meu mundo anda caindo aos poucos, e naquele dia só o que pude fazer foi chorar, mesmo que tenham sido por dois segundos, as emoções que ficam são como cicatrizes que marcam.
Esqueci um pouco as loucuras que rodavam minha mente e tomei o banho mais demorado do mundo que durou dez minutos. O banho em si, foram dez minutos, sem contar as horas que a água abriu uma lembrança avassaladora sobre todas as vez que quis chorar e não chorei. Chorei mais dois segundos com a água do chuveiro se misturando com a água dos meus olhos.
Fui dormir esquecendo de tudo, aquele dia até que foi tranquilo. A dor foi como uma linha fina, que não se arrebentou causando um grande estrago. Fui dormir contando as batidas do meu coração.

''Se meus olhos mostrassem a minha alma, todos, ao me verem sorrir, chorariam comigo.''

Nenhum comentário:

Postar um comentário