Aqui, lê-se, drama e doçura.

Escrevo meus porquês, sem poréns e sem vírgulas.
Meu mundo é perigoso e opcional.
Sou liberta de correntes.
Vivo.

Deixo ser
Deixo estar
Deixo a vida passar
- Observo enquanto escrevo.
Transformo vivência em palavras
e -
Deixo as palavras invadirem o espaço.

Vendo a vida passar; e escrevendo entre aspas.
(Aqui, lê-se, drama e doçura.)

sexta-feira, 28 de maio de 2010

E quando o mundo parar?

Eu sei que sou forte, preciso saber. A minha utopia em estado nervoso vem me cegando, deixando-me louca a ponto de fechar os olhos e me esconder. Mas e o tempo que continua passando? Há coisas que te deixam responsável a cada dia que passa, largar tudo é apenas uma vontade instável, que passa e deixa arrependimentos depois. Criar um esconderijo pra quê? Sei que sou forte. Mas e se o mundo parar, a minha força também pára? Assim, poderei me enrolar em um canto onde ninguém me veja, aliás, todos estarão parados esperando que o tempo volte ao normal. E quando o mundo parar, para onde vou tentando parecer notável, mas escondendo-me aos poucos? E, SE o mundo parar...

Nenhum comentário:

Postar um comentário