Aqui, lê-se, drama e doçura.

Escrevo meus porquês, sem poréns e sem vírgulas.
Meu mundo é perigoso e opcional.
Sou liberta de correntes.
Vivo.

Deixo ser
Deixo estar
Deixo a vida passar
- Observo enquanto escrevo.
Transformo vivência em palavras
e -
Deixo as palavras invadirem o espaço.

Vendo a vida passar; e escrevendo entre aspas.
(Aqui, lê-se, drama e doçura.)

sábado, 24 de abril de 2010

O menino com cara de senhor.

Sou eu um senhor com a pele flácida que esconde a flacidez ao sorrir.
O sorriso de menino é o senhor que deseja não morrer nunca.
O senhor é senhor por ler hábitos, ideias, ações e sentimentos alheios,
porque sabe.
Já ouviu falar da famosa "noite perigosa",
e como menino, interpreta aquelas noites com medo do escuro.
Noites em que a luz se vai, as noites em que ele sente frio,
por querer seu cobertor mais macio, rejeita todo o resto, fazendo pirraça.
E fica com frio.
Sou eu senhor por ter um coração que suporte a dor,
e que o faz palpitar ao lembrar de um rosto.
Sou eu um menino por brincar de crescer,
que faz, erra e aprende sempre, constantemente,
para construir um caráter.
Sou eu um menino que gosta de tocar as estrelas,
e um senhor por fazer as estrelas chegarem até a mim.

2 comentários:

  1. que lindo seu banner, que lindo seus textos, ahh amei! :)
    vc escreve muito bem, sério.

    ResponderExcluir