Aqui, lê-se, drama e doçura.

Escrevo meus porquês, sem poréns e sem vírgulas.
Meu mundo é perigoso e opcional.
Sou liberta de correntes.
Vivo.

Deixo ser
Deixo estar
Deixo a vida passar
- Observo enquanto escrevo.
Transformo vivência em palavras
e -
Deixo as palavras invadirem o espaço.

Vendo a vida passar; e escrevendo entre aspas.
(Aqui, lê-se, drama e doçura.)

quinta-feira, 21 de janeiro de 2010

Detenção

"Nada aconteceu, estou bem."
A mente grita. Precisa estar bem.
Ninguém nota o sorriso mal posto.

E esta, entretando, sentia-se desnorteada,
brandou o olhar,
recolheu-se já; com lágrimas
escondendo a cor de seus olhos

Levanta-te moça, para, sob um céu, sonhar.
Ser, então, alguém que nunca foi.
Anônima ainda é, ande e note ser amada.

Ponha-se, agora, em frente aos que te humilharam,
pois, você é

Caos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário