Aqui, lê-se, drama e doçura.

Escrevo meus porquês, sem poréns e sem vírgulas.
Meu mundo é perigoso e opcional.
Sou liberta de correntes.
Vivo.

Deixo ser
Deixo estar
Deixo a vida passar
- Observo enquanto escrevo.
Transformo vivência em palavras
e -
Deixo as palavras invadirem o espaço.

Vendo a vida passar; e escrevendo entre aspas.
(Aqui, lê-se, drama e doçura.)

quinta-feira, 14 de janeiro de 2010

Declínio mundial.

Declínio mundial: Pessoas soberbas, apáticas, engajadas a coisas fúteis, vivem vidas clichês, acreditando em frases clichês que lhe servem como uma lição, boçais. Ambiente pútrido, insípido, sórdido à moradia. Mundo de pseudos. Pseudo-intelectuais, pseudo-meliantes, pseudo-depressivos, pseudo-gente.
Palavras dissonantes o tempo inteiro, mal entendidos, brigas, confusões. Ébrios pela manhã, auto-discretas-flagelações, falta de força de vontade de viver, dependências;

É, o ato de ludibriar do mundo anda cada vez maior. O fato de ser enganado pela vida também. A boca precisa estar fechada e os ouvidos e a mente bem abertas, para não reclamar e apenas ouvir, aprender. Mundo é mundo, nada mudará o fato de que você não pode enganá-lo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário