Aqui, lê-se, drama e doçura.

Escrevo meus porquês, sem poréns e sem vírgulas.
Meu mundo é perigoso e opcional.
Sou liberta de correntes.
Vivo.

Deixo ser
Deixo estar
Deixo a vida passar
- Observo enquanto escrevo.
Transformo vivência em palavras
e -
Deixo as palavras invadirem o espaço.

Vendo a vida passar; e escrevendo entre aspas.
(Aqui, lê-se, drama e doçura.)

terça-feira, 17 de novembro de 2009

Sentidos (des)agradáveis.

Água, chuva, rio, mar, lágrimas
Som, música, harmonia, instrumentos, voz
Doce, sublime, primazia, deveras.
Não chore, não chore... Não... Chore, amor.
E a sua voz... Tão confortável, agradável, saudável.
Olhe para meus olhos, fite-os. Minha respiração está diminuindo, veja.
Mas não se desespere,
Porque você sabe...
Você sabe...
Que já reconheço o gosto dos seus beijos.
Que momento... Que momento...


Nota: Eu sei, está muito piegas .-.

Nenhum comentário:

Postar um comentário