Aqui, lê-se, drama e doçura.

Escrevo meus porquês, sem poréns e sem vírgulas.
Meu mundo é perigoso e opcional.
Sou liberta de correntes.
Vivo.

Deixo ser
Deixo estar
Deixo a vida passar
- Observo enquanto escrevo.
Transformo vivência em palavras
e -
Deixo as palavras invadirem o espaço.

Vendo a vida passar; e escrevendo entre aspas.
(Aqui, lê-se, drama e doçura.)

quinta-feira, 19 de novembro de 2009

Odeio bonecas que não são bonitinhas.

Chamem-me de louca, não passará de uma verdade. Aliás, será a única verdade dita por vocês. Bruta e tosca também. Posso até mesmo ser insípida, se isso lhes fazem felizes e for a vontade de vocês.
Chamem-me de piegas, pois será mais uma verdade. Qualquer coisa que saia de minha boca sobre qualquer sentimento soará piegas - não é de meu costume falar tais coisas -.
Chata, boba ou qualquer coisa do tipo, essas são as verdades. Elogios sobre mim são só mentiras, apenas mentiras.
Afunde-se em mentiras, elas vão lhe servir de que? Verdades lhe fazem melhorar e é disso que precisamos.
Sapiência, é só disso que preciso, o resto se for sobre mim pode jogar no lixo. Aliás, os chatos sabem ser mais racionais. Mesmo me enganando ou parecendo me enganar, então EU sou chata. Racional e chata. Os outros são só bonecos que o mundo projeta, quer dizer, todos nós somos bonecos, mas existem bonecos que destaca-se no meio dos outros, por serem mais bonitos, mais talentosos ou o que seja.
A beleza é vista pela mente, e para falar a verdade...
Odeio bonecas que não são bonitinhas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário