Aqui, lê-se, drama e doçura.

Escrevo meus porquês, sem poréns e sem vírgulas.
Meu mundo é perigoso e opcional.
Sou liberta de correntes.
Vivo.

Deixo ser
Deixo estar
Deixo a vida passar
- Observo enquanto escrevo.
Transformo vivência em palavras
e -
Deixo as palavras invadirem o espaço.

Vendo a vida passar; e escrevendo entre aspas.
(Aqui, lê-se, drama e doçura.)

domingo, 29 de novembro de 2009

Ah, coragem

Ah, coragem,
Porque me deixa quando eu mais preciso?
É você a responsável por meus atos, então te peço apenas para preencher o vazio que existe em mim, apenas para eu conseguir catar os pedaços de cada sentimento que foi quebrado.
Ah coragem, que egoísta sou, mas sei que pode realizar meu desejo.
Tempo, é isso que preciso. Infiltre-se em mim aos poucos e cresça. Deixe que o tempo se encarregue de todo o resto.
Viva uma vida normal, dona coragem, mas continue trabalhando, não pare nunca, pois preciso de ti para andar com meus próprios pés.
Ah coragem, só você me fará correr nessa longa e esburacada estrada da vida sem me importar com os calos, a dor.
Ah coragem, talvez nem seja a escolha certa, mas prefiro arriscar. Porque anda de mãos dadas com a loucura?
Ah coragem...

Nenhum comentário:

Postar um comentário