Aqui, lê-se, drama e doçura.

Escrevo meus porquês, sem poréns e sem vírgulas.
Meu mundo é perigoso e opcional.
Sou liberta de correntes.
Vivo.

Deixo ser
Deixo estar
Deixo a vida passar
- Observo enquanto escrevo.
Transformo vivência em palavras
e -
Deixo as palavras invadirem o espaço.

Vendo a vida passar; e escrevendo entre aspas.
(Aqui, lê-se, drama e doçura.)

sexta-feira, 16 de outubro de 2009

Outubro de 1942

Querido diário,
Está acontecendo uma monstruosa guerra lá fora. Logo, iremos todos morrer, até mesmo você querido diário, com quem me abri desde o começo de minha vida, e até o final. Realmente até o final.
Fico feliz de ter tido um grande amigo nessa minha passagem que permitiu minhas lamúrias, agüentou meus defeitos e não se importou com minhas lágrimas.
Querido diário, porque tudo tem que ser assim? As coisas se desenvolvem, os problemas aumentam formando bolas de neve cada vez maiores. Parece que nunca irá acabar, parece nunca ter fim.
Incrível como o mal prevalece em questão de segundos, não é? Veja só aquele homem com que todos dizem ser o "Führer". Ora, que bobagem, ora quanto desespero para a recuperação de um país, ora quanta ditadura... Para nada.
Queria apenas ter uma morte rápida, pacífica, poder fechar meus olhos tranqüilamente, ser enterrada em um belo jardim, sendo rodeada de pessoas que amo, todos felizes, porém, isso não será possível, já que metade delas já se fora.
Foram maltratadas, mutiladas. Só eu acho isso triste e ruim? Cadê o bom senso desse mundo? Em que tipo de monstro nos tornamos?
Tenho medo...
Hoje, o ser humano não demonstra sua sapiência - e cá entre nós, o ser humano incapaz de realizar tal ato não é digno de ser chamado de humano -. Esquecemos as coisas mais belas do mundo? Aquelas coisas, únicas coisas que nos acalmam, que nos fazem sentir vivos.
Isso irá se repetir? Atualmente está se repetindo, e mais para frente se repetirá novamente?
Como tudo tem um lado positivo, sejamos um pouco racionais, sairemos da realidade e mergulharemos no mundo dos sonhos, pensaremos o lado bom. Talvez com a redução de pessoas, o mundo poderá melhorar. Isso pode soar egoísta, mas é a única e fria solução, para o mundo e os demais seres vivos, talvez esse seja seu ponto positivo.
Ah, mundo injusto, guerra injusta, e que o "Führer" não prevaleça e a guerra finalmente acabe.
Adeus querido diário, quem sabe nos encontraremos na próxima vida.

Um comentário:

  1. Vlw pelo desabafo vc escreveu tudo que tenho vontade de dizer..Beijos :)

    ResponderExcluir