Aqui, lê-se, drama e doçura.

Escrevo meus porquês, sem poréns e sem vírgulas.
Meu mundo é perigoso e opcional.
Sou liberta de correntes.
Vivo.

Deixo ser
Deixo estar
Deixo a vida passar
- Observo enquanto escrevo.
Transformo vivência em palavras
e -
Deixo as palavras invadirem o espaço.

Vendo a vida passar; e escrevendo entre aspas.
(Aqui, lê-se, drama e doçura.)

quinta-feira, 29 de outubro de 2009

Manual de sobrevivência

Eu não escolho as palavras, prefiro os fatos.
O mundo está se acabando. E ainda há quem diga que tudo está inteiro...
Grande besteira. Sobras, foi apenas o que nos restou.
É por isso, que eu gosto do meu mundo. O que eu criei, o que eu procuro viver.
Aqui no meu exílio, fazendo observações de uma vida que eu nunca vivi.
Longe de todo mundo, das coisas 'boas' e ruins, os costumes, as vontades...
Não há nenhum vírus, logo, não há como eu ficar doente.
Prefiro assim, tudo distante. Sinto-me melhor, e ainda consigo expor o que eu penso sem ter que engolir meus pensamentos.
É assim... Só eu,uma folha e uma caneta com a tinta no fim, isso basta.

Nenhum comentário:

Postar um comentário