Aqui, lê-se, drama e doçura.

Escrevo meus porquês, sem poréns e sem vírgulas.
Meu mundo é perigoso e opcional.
Sou liberta de correntes.
Vivo.

Deixo ser
Deixo estar
Deixo a vida passar
- Observo enquanto escrevo.
Transformo vivência em palavras
e -
Deixo as palavras invadirem o espaço.

Vendo a vida passar; e escrevendo entre aspas.
(Aqui, lê-se, drama e doçura.)

terça-feira, 27 de outubro de 2009

Fim

A chuva está bem fina. Meus olhos estão se fechando, não estou conseguindo descrever o local. Meu corpo está pesado, fraco e meu coração dói. A dor é insuportável. minha respiração está fraca, ainda assim, quero continuar tentando. Lutando contra meu corpo, eu definitivamente viverei. A cama desse hospital é confortável até, só pensando nisso me faz produzir um leve som que ecoa pelo ar. Um leve riso que anima os que estão presentes em minha 'morte em câmera lenta'.
Por favor, não se preocupem comigo. A chuva está mais pesada agora, posso sentir. O clima está chato, nunca gostei da chuva, agora muito menos, já que ela representa dor a alguém que amo. Vocês poderiam parar de chorar, assim viverei o pouco tempo que me resta mais tranqüila. Eu vivi bem agitada, não acham? Sempre procurando os problemas, colocando a culpa nos outros, mesmo ela sendo só minha. Agora não vale a pena tentar me desculpar. Mesmo assim, me desculpem.
Egoísmo sempre esteve presente em minha vida, minha sombra e fiel amiga. Algumas vezes eu até a coloquei acima das pessoas que amava, machucando-as sem perceber, e quando me dava conta, achava que era estupidez deles. Nem ao menos tentei saber o motivo, humilhava ainda mais. No fundo, eles estavam certos. Ainda é egoísmo meu querer viver mais um pouco para pedir desculpas a quem machuquei e reverter a pessoa que fui?
Mesmo que não seja possível, eu queria apenas me redimir com um simples 'desculpem-me'. isso me fará melhor, muito melhor. Eles podem me odiar e eu não os culpo, estão certos.
Ainda fazendo esforço, meu pulmão dói. Quem merece passar por isso? Talvez isso esteja acontecendo para eu ver que na vida não acontece apenas o que queremos. Vivemos nossa vida pensando também nos outros, e por mais chato pareça ser é mais divertido, e saudável até.
Na próxima vida, lembrarei de seguir as regras de sobrevivência, vou enfim viver uma vida inteira.
A chuva parou, para que meu enterro seja pelo menos agradável.
- Eu... Eu... A-amo. Vocês.

Nenhum comentário:

Postar um comentário