Aqui, lê-se, drama e doçura.

Escrevo meus porquês, sem poréns e sem vírgulas.
Meu mundo é perigoso e opcional.
Sou liberta de correntes.
Vivo.

Deixo ser
Deixo estar
Deixo a vida passar
- Observo enquanto escrevo.
Transformo vivência em palavras
e -
Deixo as palavras invadirem o espaço.

Vendo a vida passar; e escrevendo entre aspas.
(Aqui, lê-se, drama e doçura.)

terça-feira, 16 de junho de 2009

Sr. Deus

Sr. Deus,
Porque fazes isso comigo? Porque tiras de mim o único local no qual sou cercado de amigos? Afastando-os, pra quê? Talvez seja pra eu ficar sozinha. Mas por qual motivo me apresenta um lugar no qual todos são o meu oposto e me odeiam? Pra eu me sentir inútil?
Porque tiras a minha segurança ? Pra que todos saibam o quão fraca sou? Para que todos saibam os meus problemas? Ou para me apresentar ao meu eu que está dentro de mim, mas nunca me foi apresentado? Aquele eu sem palavras para discutir, sem lábia, sem respostas. Aquele eu pensativo, guardando tudo para si, fazendo valer suas filosofias, dando valor ao pequeno, aprendendo a ver o mundo e conhecendo as pessoas.
Sr. Deus, por qual motivo eu preciso perceber o quão os humanos são sábios na arte de magoar? O que pretendes fazer comigo? Porque não posso construir o meu mundo, só meu, no qual só eu vivo, e fechado para turismo?
Sr. Deus, eu só preciso de respostas, porque estás sempre calado? porque não atende as minhas preces? Porque faz o oposto do que peço?
Sr. Deus, por favor... por favor... por favor...

Nenhum comentário:

Postar um comentário