Aqui, lê-se, drama e doçura.

Escrevo meus porquês, sem poréns e sem vírgulas.
Meu mundo é perigoso e opcional.
Sou liberta de correntes.
Vivo.

Deixo ser
Deixo estar
Deixo a vida passar
- Observo enquanto escrevo.
Transformo vivência em palavras
e -
Deixo as palavras invadirem o espaço.

Vendo a vida passar; e escrevendo entre aspas.
(Aqui, lê-se, drama e doçura.)

terça-feira, 16 de junho de 2009

Coma

Estou sempre reclamando do mundo, mas não faço nada para melhora-lo. Porquê? Porque eu não posso nem ajudar a mim mesma, quem dirá o mundo que está cheio de mentes maldosas e coisas superficiais. No dia em que cair no chão necessitando de ajuda, talvez ninguém possa me ajudar, porque estou perdida, sozinha. No dia em que ficar em coma, eu posso me achar, é o que mais preciso agora, é o que mais desejo, porque agora está tudo perdido.
Abrirei a minha mente, e se me perder novamente, tenho chance de me achar. Só não espero o fim, pois tenho medo. Tenho medo pois sei que o paraíso não é o meu lugar.
Mas talvez o inferno não seja tão ruim, não mais ruim que a terra.

Nenhum comentário:

Postar um comentário